Cuidar

O exercício adequado a cada idade do cão

O exercício adequado a cada idade do cão

Os nossos amigos de quatro patas são grandes desportistas e nós devemos potenciar as suas aptidões, de acordo com as suas necessidades e capacidades.

É muito importante que os cães façam exercício em todas as etapas da sua vida. Se mantivermos os nossos animais de companhia em forma, conseguiremos que encontram um bom equilíbrio de saúde, tanto a nível físico como mental. Deste modo, podemos evitar problemas de más condutas de comportamento de stress, de agressividade ou ansiedade, entre outros, enquanto travamos problemas físicos como a artrose, problemas musculares, neurológicos, etc.

Deste modo, vamos indicar alguns exercícios para o nosso animal de companhia, de acordo com as diferentes etapas da sua vida, com o objetivo de o manter em óptimo estado de saúde e analisamos como esta manutenção física pode contribuir para melhorar a convivência com o animal e a sua qualidade de vida.

Não podemos esquecer que os cães têm muita mais energia que nós e que o único exercício que a maioria dos nossos animais de companhia realiza são os passeios diários. Devemos ter consciência que para o nosso cão estar em boa forma física e mental temos de aumentar o número de passeios ou a sua intensidade. Ou proporcionar-lhe outras alternativas onde possa fazer exercício, como uma escola de treino, um centro de desporto, um hotel canino ou centro de reabilitação onde profissionais especializados contribuem para manter a sua condição física mediante um esquema de exercícios elaborado em função da sua idade e estado físico.

 

Cachorros (até 1,5 anos) 

 

Quando os cães são cachorros necessitam, de manter contato com diferentes ambientes e receber uma grande quantidade de estímulos positivos do mundo que os rodeia e com o qual vão manter contato o resto da sua vida.

Assim, os passeios e o exercício na rua servirão para o animal sociabilizar e para se acostumar a fazer as suas necessidades fora de casa, facilitarão a convivência com o animal (diminui os atos destrutivos, o nível de frustração e de stress, e promove a aprendizagem fomentando as condutas de calma) e contribuem para um bom desenvolvimento esquelético e para gastar a sua energia acumulada.

Temos de ter consciência que os cachorros tal como as crianças, têm um nível de energia mais elevado do que os animais adultos.

São muito mais explosivos e incansáveis, mas não resistem a qualquer tipo de exercício.

O exercício ideal para cachorros não implica grande esforço físico, quer dizer, é de pouca intensidade. Não é recomendável que corram muitos quilómetros, façam longas caminhadas ou arrastem pesos.

Devem realizar passeios frequentes nos quais podemos incluir jogos como bolas, corridas, brincar com outros cães, etc.

 

Adultos (entre 1,5 a 8 anos)

 

Quando os cães chegam à idade adulta o seu sistema muscular e esquelético já amadureceu. É então quando o seu nível de energia pode diminuir, mas o seu corpo está preparado para suportar mais esforço físico com menor risco para o animal. Neste intervalo de idade o animal pode aguentar exercícios de alta intensidade e, inclusive, fazer longas corridas frequentemente, caminhar durante horas, nadar, puxar ou mover pesos, etc.

Realizar estes exercícios na medida certa ajudará o animal a potenciar ao máximo a sua força e massa muscular, reforçando a sua coluna e articulações. Assim, dificultamos e diminuímos a possibilidade de aparecer osteoartrose e lesões articulares.

Tal como as pessoas, os animais libertam endorfinas quando fazem exercício. Estas fazem com que o animal se encontre num estado mental mais agradável e equilibrado, e contribuem para aumentar o vínculo entre o dono e o cão.

Além disso, o exercício físico ajuda a evitar que o animal faça estragos em casa, que esteja sempre a pedir atenção ao dono com ladridos, saltos ou choros… ou que esteja todo o dia à espera de algum estímulo externo para poder descarregar a sua energia e nervosismo.

Os animais que realizam exercício diariamente serão muito mais dóceis na hora de os educar em obediência e/ou modificar a sua conduta se existir algum problema no seu comportamento.

 

Seniores (entre 8 a 10 anos)

Com o passar dos anos, os animais devem mudar tanto o nível de esforço, como o nível de impacto, ao realizar exercício. Os animais seniores começam a sofrer mudanças articulares, musculares, cardiorespiratórias e neurológicas. O início da degeneração de todos estes sistemas faz com que o nosso animal de companhia possa começar a sofrer de dores articulares, a perder resistência e a sua boa forma física.

Como resultado, o animal estará mais débil, triste e apático. A primeira manifestação destes problemas ocorre quando o cão começa a mudar parte dos seus hábitos diários: joga menos, evita saltar ou fá-lo a menor altura, não consegue entrar sozinho no carro, tem dificuldade em manter o ritmo de passeio que tinha anteriormente, etc.

Para tornar mais lento e atrasar ao máximo este processo degenerativo é necessário manter estes animais num estado físico óptimo. Podemos consegui-lo realizando exercícios controlados de impacto e duração moderada.

A manutenção física durante o período de idade sénior dos cães é a mais importante. Se quando se inicia a degeneração mais marcada de forma física não existe uma manutenção, o animal pode perder de forma significativamente rápida toda a boa forma conseguida durante os anos anteriores e entrar no período geriátrico com grandes dificuldades para a sua autonomia e com uma diminuição considerável da sua qualidade de vida.

A maioria dos animais geriátricos (com mais de 10 anos de idade) sofrem de degeneração, tanto do seu estado físico, como da sua actividade e capacidade mental. Estes animais podem beneficiar de diferentes tipos de tratamentos para melhorar a sua qualidade de vida.

É necessário trabalhar a nível físico para aumentar a sua força e massa muscular, melhorar o equilíbrio e a coordenação, e aumentar a sua resistência cardiovascular. Todos os exercícios realizados em animais desta idade devem ser de baixo impacto, para alcançar os resultados desejados e melhorar as suas articulações.

Deve combinar-se o trabalho físico com a realização de exercícios mentais e comportamentais para exercitar a mente. Nos cães desta idade é muito importante trabalhar a capacidade mental, já que há uma percentagem muito elevada de animais que apresentam uma diminuição das suas capacidades mentais devido a uma doença chamada disfunção cognitiva (similar ao Alzheimer nos humanos).

Estes cães necessitam de estimular e trabalhar a sua mente diariamente para reduzir ao máximo a degeneração, e a insegurança e ansiedade que pode causar no animal por causa do problema. Para isso, podemos trabalhar com jogos simples e totalmente positivos e divertidos para o animal, mas que estimulem o seu pensamento: jogos de procura de comida, puzzles interactivos, circuitos para memorizar, etc.