Cuidar

Como evitar as urgências veterinárias mais comuns

Como evitar as urgências veterinárias mais comuns

Como evitar 8 urgências bastante comuns:

No que respeita à saúde e bem estar do seu animal de companhia, a prevenção é a melhor opção. As dicas que se seguem  são orientações de  modo a  manter o seu animal longe do perigo.
Acidentes podem acontecer de qualquer modo, mas se vigiar atentamente e praticar hábitos saudáveis, pode minimizar as emergências médicas. Se praticar os primeiros socorros deve de seguida consultar o seu veterinário. É prudente ter sempre à mão o nº de telefone do seu veterinário e de um hospital com urgências durante 24 horas.

Armazene com cuidado todos os compostos que possam ser tóxicos (exemplo: anticongelante, insecticidas, desinfectantes). Não tenha em casa plantas que sejam venenosas para os gatos. Não deixe o seu cão ou gato andar por quintais ou campos que tenham sido recentemente tratados com insecticidas ou outros produtos químicos, nem beber água ou qualquer outro produto de origem desconhecida.

 

1- Atropelamento
Se tem um gato, não o deixe andar na rua. Nunca deixe o seu cão passear sem trela perto de estradas.

2- Ingestão de objetos estranhos
Não deixe o seu cão ou gato brincar com fios, ou brinquedos suficientemente pequenos para serem  engolidos. Este problema ocorre com maior frequência em animais jovens e inexperientes, pelo que é nesta fase que tem de ter especial cuidado.

3 -  Golpe de calor
Nunca deixe o seu animal dentro do carro ao sol. Não deixe que ele aqueça demasiado num dia de calor e proporcione sempre livre acesso a sombra e água. Estes cuidados devem ser ainda mais redobrados em algumas raças específicas, nomeadamente animais braquicéfalos (de focinho curto) como os Boxers, BullDogs, Gatos Persa etc, cuja anatomia do trato respiratório predispõe para a hipertermia. As raças nórdicas também são mais propensas (Husky Siberiano, etc).

4 – Envenenamento
Armazene com cuidado todos os compostos que possam ser tóxicos (exemplo: anticongelante, insecticidas, desinfectantes). Não tenha em casa plantas que sejam venenosas para os gatos. Não deixe o seu cão ou gato andar por quintais ou campos que tenham sido recentemente tratados com insecticidas ou outros produtos químicos, nem beber água ou qualquer outro produto de origem desconhecida.

5 -  Feridas
Ao contrário da opinião comum, andar na rua é perigoso para os gatos. Manter o seu gato dentro de casa minimiza  o risco  de feridas e abcessos adquiridos em lutas com outros gatos, por exemplo. Vigie enquanto o seu cão brinca e passeia e evite o contacto com vidros ou outros materiais aguçados bem como com outros animais agressivos.

6- Queimaduras
Não deixe o seu animal só no mesmo compartimento com velas ou outras chamas. Use uma protecção na lareira. Cuidado com fios eléctricos. Não deixe o ferro de engomar quente em local acessível. Tenha especial atenção aquando do uso de placas de vitrocerâmica, um dos principais motivos de queimadura em gatos.

7- Quedas
Apesar de ser natural nos gatos saltar e trepar, alguns caem de sítios altos e perigosos. Gatos que vivem em apartamentos caem facilmente de janelas abertas ou varandas. Tenha o cuidado de manter janelas fechadas e vedar o acesso a varandas.

8  – Afogamento
Para os gatos mantenha todos os recipientes com água tapados como por exemplo as sanitas.
Vigiar os cães junto aos lagos, rios, e sobretudo piscinas com cobertura diretamente sobre a água, impedindo a saída do animal. Dificulte o acesso e use um alarme na piscina.