Cuidar

Linfoma intestinal/alimentar no gato

Linfoma intestinal/alimentar no gato

Definição

Trata-se de uma neoplasia maligna dos linfócitos (tipo de células de defesa) localizada ao longo do tubo gastrointestinal, nomedamente no estômago e principalmente no intestino- daí a designação de Linfoma Alimentar (LA).
É hoje a forma mais comum de linfoma nos gatos e é também a neoplasia gastrointestinal mais comum afectando sobretudo gatos mais velhos parecendo haver uma predisposição para gatos de raça Siamês.


Sintomas

A proliferação de linfócitos na parede intestinal leva a perda de funções digestivas demonstradas por diarreia e perda de peso. A inflamação associada provoca tenesmo (dificuldades em defecar), perda de sangue nas fezes e anemias. Os vómitos podem também estar presentes, por exemplo, em situações em que o tumor cause obstrução intestinal.
Infelizmente os sintomas são inespecíficos e muitas vezes a apresentação típica é a de um gato sénior com perda de peso gradual e apetite ligeiramente diminuído, sem mais sinais de alerta.


Exames

A palpação abdominal é de extrema importância pois permite detectar massas e espessamentos das ansas intestinais e assim alertar o clínico para o diagnóstico de linfoma. No entanto, só numa fase avançada da doença é que é possível detectar o LA mediante exame físico. A ecografia abdominal é o principal meio de exame complementar para documentar a presença de massas ou alterações da parede intestinal. A confirmação através de biópsia ou citologia são o passo seguinte para confirmar a patologia.


Tratamento

O linfoma é uma doença de tratamento médico pelo que a cirurgia só está indicada em casos de obstrução intestinal ou na necessidade de biópsia para confirmação do diagnóstico.
Existem dois tipos de linfoma: de células grandes e de células pequenas com grandes implicações no prognóstico e tratamento. O primeiro tipo tem pior prognóstico e exige um tratamento mais intensivo com quimioterapia endovenosa. O segundo tipo tem melhor prognóstico com sobrevidas de até 2 anos com medicação oral específica.


Tratamento de suporte

Gatos acometidos por LA possuem muitas vezes défices nutricionais que têm que ser muitas vezes corrigidos com administração de vitamina B12. O suporte nutricional e a prevenção da náusea e do vómito são também aspectos essenciais do tratamento.


Conclusão

Os proprietários de gatos com suspeita/confirmação de neoplasia intestinal não devem considerar imediatamente a eutanásia. “Tumor intestinal” não é um diagnóstico, uma vez que existem vários tipos de tumores intestinais com diferentes prognósticos. Sobretudo se se tratar de um linfoma de células pequenas a doença pode assumir um curso crónico com boa qualidade de vida para muitos pacientes, sem grandes complicações de tratamento e sem grandes custos para o proprietário.