PennHip

Temos ao dispor dos nossos clientes, criadores e colegas um novo método de avaliação da Displasia da Anca/Cotovelo: O método PennHip.

Ortopedia/Traumatologia

O que é PennHip?

É um método radiográfico de avaliação de displasia da anca.

 

O que é a displasia da anca?

De uma forma simplificada podemos dizer que é uma doença degenerativa provocada pela incongruência e laxidão da articulação coxofemoral (anca). Com o passar do tempo a displasia provoca o aparecimento de osteoartrose.


Existem outros métodos para fazer essa avaliação?

Sim. O mais utilizado na Europa é o FCI.

 

Quais são as vantagens do PennHip?

O PennHip é o primeiro método que determina de forma quantitativa a laxidão articular. Cada animal recebe uma pontuação (índice de distração) de 0 a 1, que permite estimar a probabilidade desse animal desenvolver osteoartrose e comparar o seu valor genético dentro da raça. Quanto maior a probabilidade de vir a desenvolver osteoartrose maior o número. Está provado que com outros métodos existe sempre uma quantidade significativa de animais com displasia que não são detetados.

 

Como é que é realizado o PennHip?

São realizadas três radiografias sob anestesia geral.

A primeira radiografia é igual à utilizada pelo sistema FCI e permite identificar a presença de osteoartrose.

As outras duas radiografias são realizadas com os membros posteriores na posição normal de um cão em estação. Numa delas é realizada compressão e na outra distração da articulação coxofemoral. A diferença entre estas duas representa a laxidão articular.

 

Porque é que tem de ser realizado com anestesia geral?

O cão tem que ser anestesiado para haver uma descontração completa dos músculos da bacia e permitir a manifestação da laxidão.

 

Que animais é que podem fazer este exame?

Este exame pode ser utilizado para despiste ou avaliação de displasia da anca em qualquer raça de cão a partir das 16 semanas de idade. Nas raças com predisposição para a doença todos os animais devem ser testados.

 

Que interesse pode ter este exame para o criador?

Permite que animais com displasia, que segundo outros testes eram classificados como normais, sejam detetados e não sejam usados para reprodução. Dessa forma será possível diminuir a transmissão dos genes responsáveis pela doença às novas gerações de cães.

 

Este exame tem interesse para um animal de companhia?

Sim, pois ele permite a deteção muito precoce da doença facilitando desta forma a intervenção por parte do veterinário para evitar ou diminuir a sua manifestação.