Error loading MacroEngine script (file: PageHeader.cshtml)

Tumores cerebrais no cão e no gato

Tumores cerebrais no cão e no gato

Os tumores cerebrais afectam sobretudo animais a partir da meia idade. A sintomatologia deve-se à compressão mecânica directa do tumor, à inflamação associada e a hemorragias do próprio tumor.

As neoplasias podem ser extra-axiais surgindo em zonas mais superficiais e intra-axiais com origem mais profunda. As primeiras têm normalmente uma sintomatologia de evolução mais lenta em contraste com as últimas que podem manifestar-se de uma forma mais aguda.

Etiologia/causa

Os tumores podem ter uma origem primária no tecido cerebral ou corresponderem a metásteses de outros tumores localizados noutros órgãos.

As neoplasias cerebrais mais comuns em cães são os meningiomas (com origem nas meninges) e os gliomas (com origem nas células da neuroectoderme).

Nos gatos os meningiomas são a neoplasia mais comum.

Sintomatologia

Inicialmente os sinais podem ser inespecíficos e vagos, tais como irritabilidade, alterações de comportamento e letargia. Alguns tumores apresentam como único sinal as convulsões.

Os sintomas focais (afectam uma parte localizada do cérebro) são comuns: perda de visão, défices proprioceptivos unilaterais.

Diagnóstico

É feito através da realização de ressonância magnética ou TAC.

Tratamento

Médico: recorre-se ao uso de corticosteróides para diminuir a inflamação associada à neoplasia e aos anti-convulsivos para tratar e prevenir convulsões.

Cirúrgico: reservado para aas neoplasias extra-axiais.

Prognóstico

O prognóstico é reservado para qualquer neoplasia cerebral.