Error loading MacroEngine script (file: PageHeader.cshtml)

Osteotomina Tripla Pélvica (TPO)

Osteotomina Tripla Pélvica (TPO)

A TPO é uma técnica cirúrgica correctiva destinada a cães jovens para manter a congruência articular.

 

É uma cirurgia que preserva a articulação pélvica, elimina a subluxação / lassidão e previne a progressão da artrite. Este procedimento envolve a osteotomia (corte do osso) da pélvis em três locais, no púbis isquiem e ílio (osteotomia tripla), e rodando o segmento acetabular para promover uma maior cobertura da cabeça femural. O resultado final é uma articulação estável e não dolorosa.

 

Em animais jovens, a principal anomalia na displasia da anca é a lassidão articular. Esta situação pode levar a uma inflamação na articulação, originando dor e claudicação. Nomeadamente, a lassidão em cães jovens inicia um ciclo vicioso, onde o movimento associado à força do peso corporal, forçam a cabeça do fémur para uma posição anormal. Isto causa interferência na ossificação (formação de tecido ósseo) no bordo acetabular (cavidade articular), erosão e fribrilhação da cartilagem articular, estiramento do ligamento redondo, alterações inflamatórias da membrana sinovial, espessamento da cápsula articular e formação de osteófitos (espículas ósseas). Como resultado final temos um acetábulo anormalmente pouco profundo, uma cabeça do fémur aplanada e uma artrite progressiva.

 

Uma dor aguda e prolongada associada a uma claudicação severa em cães jovens têm como resultado a ocorrência súbita de microfracturas (pequenas fissuras) no bordo acetabular. Estas fracturas não são visíveis radiograficamente porque se encontram ocultas atrás da cabeça femural. As alterações observadas no andamento de cães jovens incluem claudicação, relutância a saltar e “salto à coelho” quando correm. Alguns cães podem ganir de dor quando se movimenta a anca.

 

Em pacientes jovens com evidência mínima de artrite, a reconstrução estabilizadora da articulação da anca é recomendada. Falamos então da reconstrução da articulação para uma posição anatomicamente mais correcta, permitindo uma melhor congruência articular evitando a subluxação e lassidão que está na origem de artrites severas.

 

A TPO é um procedimento cirúrgico que implica a rotação da cavidade acetabular de modo a melhorar a cobertura da cabeça femural. Assim, o problema inicial da subluxação e dor articular são controlados.

 

São realizadas três ou quatro osteotomias a partir de três pequenas incisões. O acetábulo é então rodado para uma posição predeterminada, permitindo que a cabeça do fémur assente na cavidade do acetábulo. Agora com a cabeça do fémur correctamente inserida na cavidade acetabular, uma placa de aço especial é aplicada na articulação pélvica na sua nova configuração.

 

Este procedimento é realizado em cães jovens, com idade entre os 4 e 15 meses, antes do aparecimento de subluxações muito severas ou evidência de artrite. Tem sido estabelecido com segurança que os pacientes que reunam estes critérios de selecção pré-cirúrgica têm prognósticos mais favoráveis. Estas alterações podem ser detectadas por exame radiográfico, assim como palpação, antes da cirurgia. O ângulo específico de rotação acetabular é estabelecido para cada paciente com base no exame radiográfico e no exame físico, nomeadamente o Teste de Ortolani. Estes exames normalmente requerem algum grau de sedação de modo a permitir uma correcta avaliação do grau de lassidão da anca.

 

O principal objectivo da TPO é permitir uma boa congruência articular entre a cabeça femural e cavidade acetabular de modo a favorecer um desenvolvimento articular apropriado sem a ocorrência de mais lesões. É importante realçar que, apesar do factor idade ser importante, não é tão crítico como o estado das superfícies articulares para o sucesso da cirurgia. Assim, indivíduos com sinais de artrite pélvica não são candidatos para a TPO.