Error loading MacroEngine script (file: PageHeader.cshtml)

Doenças cardíacas nos cães

Doenças cardíacas nos cães

As doenças cardíacas são cada vez mais comuns nos cães. Isto ocorre porque a sua esperança média de vida tem vindo a aumentar nos últimos anos, em grande parte devido aos melhores e mais atentos cuidados veterinários prestados nos nossos dias.
Alguns defeitos cardíacos estão presentes desde o nascimento (defeitos cardíacos congénitos) mas apenas causam sintomas quando o animal envelhece e o seu coração começa a ficar mais fraco.

Como é que o coração trabalha?

O coração dos nossos animais de estimação é, tal como o nosso, uma bomba muscular com quatro compartimentos separados.
A parte direita do coração envia sangue para os pulmões onde este recebe oxigénio enquanto a parte esquerda bombeia o sangue para o resto do corpo.
As quatro áreas do coração são separadas por válvulas que asseguram que o sangue corra sempre na direcção correcta.

O que é uma doença cardíaca?

As doenças cardíacas em cães idosos são geralmente causadas por alterações nas válvulas cardíacas ou por alterações no músculo cardíaco.
Algumas raças de cães são mais predispostas a determinados problemas cardíacos que outras.
Nos humanos, as doenças cardíacas são geralmente provocadas por lesões no músculo cardíaco causadas por coágulos sanguíneos (enfarte do miocárdio). Esta lesão cardíaca não acontece nos cães.
As duas doenças cardíacas mais comuns nos cães adultos são:
- Insuficiência Valvular: Esta doença é particularmente comum em Caniches, Yorkshire Terrier, Cavalier King Charles Spaniels, etc. À medida que o cão envelhece as suas válvulas ficam cada vez mais permeáveis e, em vez de fecharem eficazmente cada vez que o coração bombeia, elas permitem um movimento de sangue inverso ao normal, resultando assim num diminuição do sangue que vai ser distribuído pelo organismo.
- Cardiomiopatia Dilatada: Este problema cardíaco é mais comum em cães de raças grandes como os Doberman, Dog Alemão, Cães da Terra Nova, IrishWolfhound e Cães da Serra da Estrela. Esta doença causa o adelgaçamento das paredes cardíacas de tal maneira que o coração incha (semelhante a um balão com água). As contracções do músculo cardíaco ficam muito fracas fazendo com que o sangue não seja bombeado eficazmente.

Quais são os sintomas de doença cardíaca?

Os sintomas de doença cardíaca são geralmente muito similares, independentemente da causa.
Muitos dos sintomas de um paciente cardíaco podem ser confundidos com o envelhecimento natural de um animal. Apatia e intolerância ao exercício físico são comuns.
Cães com doença cardíaca severa podem ter uma redução de apetite, levando mesmo à diminuição de peso que, em muitos casos, pode passar despercebido já que estes animais apresentam uma enorme retenção de líquidos devido aos seus problemas cardíacos.
Outros sinais clínicos comuns nestes pacientes são as dificuldades respiratórias e a tosse devido ao aumento de fluidos nos pulmões. Convêm ter em conta que estes sinais clínicos são inespecíficos e podem também ser vistos noutras doenças. Por vezes, os cães com problemas cardíacos podem ter desmaios ou mesmo ataques.

Como é que o meu veterinário sabe que o meu cão tem uma doença cardíaca?

Quando nós examinamos o seu animal, usamos um estetoscópio para ouvir o coração do seu cão. Quando uma doença cardíaca está presente, por vezes faz-se acompanhar por uma mudança nos sons cardíacos.
O batimento cardíaco pode ser mais rápido (ou eventualmente mais lento) e irregular. Um exame radiográfico pode-nos mostrar que o coração do seu animal está aumentado e a ecografia pode ser usada para verificarmos se o músculo cardíaco e as válvulas cardíacas estão a trabalhar normalmente. Um Electrocardiograma (ECG) regista a actividade eléctrica do coração que faz com que o coração contraia e pode ser usado para verificarmos se o batimento cardíaco é regular ou irregular.
Se tiver um cachorrinho, deve fazer-lhe um check-up o mais cedo possível pois, deste modo, poderemos detectar problemas cardíacos congénitos e, se possível, corrigi-los o mais cedo possível antes que apresente sintomatologia.

Podem-se tratar problemas cardíacos?

Doença cardíaca não significa necessariamente falência cardíaca. Muitos animais com problemas cardíacos não apresentam sintomatologia e são capazes de viver vidas normais sem necessitarem de medicação.
Contudo, a maior parte dos pacientes cardíacos tendem a piorar depois dos primeiros sintomas, necessitando de tratamento para o resto da vida do animal.

Como é que se tratam os problemas cardíacos?

Numa fase precoce da doença cardíaca pode ainda não haver sintomatologia associada e o seu animal necessita apenas de visitas regulares ao veterinário de maneira a que o possamos seguir rigorosa e cuidadosamente.
Se os sinais clínicos aparecerem, estes podem ser tratados.
Contudo, convêm ter em mente que a doença vai efectivamente piorar e que o tratamento vai apenas atrasar a progressão da doença.

O tratamento é composto por:


- Mudanças do estilo de vida do animal; (ex: mais exercício controlado);
- Medicamentos que melhorem o batimento cardíaco ou que mudem a frequência cardíaca;
- Medicamentos que facilitem a eliminação dos líquidos acumulados;
- Mudanças dietéticas podem ser necessárias, dependendo do tipo de problema cardíaco do seu animal.

Quanto tempo viverá o meu cão?

Esta é uma questão impossível de responder. Alguns animais com problemas cardíacos podem viver vidas normais sem qualquer tipo de sintomas enquanto outros podem não responder ao tratamento e morrer subitamente.
Tudo depende do tipo e severidade da doença cardíaca, tendo em conta que cada caso é único.
O aspecto mais importante perante qualquer que seja a doença é a qualidade de vida que o animal apresenta.

Se acha que o seu animal de estimação não se sente bem, ou que o tratamento não o está a ajudar, deverá contactar o seu veterinário para que o aconselhe.