Error loading MacroEngine script (file: PageHeader.cshtml)

Coelhos - Patologia Dentária

Coelhos - Patologia Dentária

A patologia dentária em coelhos é muito comum. As causas destas alterações podem ser muito variadas, mas estão invariavelmente relacionadas com o facto dos coelhos apresentarem durante toda a vida dentes de crescimento contínuo. A dentição é composta por 28 dentes, para além dos incisivos, que se podem observar facilmente, têm também pré-molares e molares.

Devido às características anatómicas da boca dos coelhos, estes últimos não são fáceis de visualizar.

Os incisivos são utilizados para cortar o alimento enquanto os molares e pré-molares servem para moer a comida e reduzi-la a pequenos pedaços. O desgaste dos dentes faz-se através da mastigação e pelo contacto entre dentes.

As causas de problemas dentários são muito variadas: podem ser hereditárias, congénitas ou adquiridas (por deficiências durante o crescimento, dieta inadequada ou por trauma). As alterações de dentes nem sempre são fáceis de diagnosticar.

Por vezes os sintomas são apenas ligeiras alterações do comportamento, como comer ou beber menos e mudanças de hábitos alimentares.

Devido à sua natureza tímida e discreta, os coelhos não manifestam de uma forma evidente a dor ou mal-estar, por isso muitas vezes quando nos apercebemos das alterações, estas podem estar a decorrer já de uma forma crónica e podemos estar perante inflamações e infecções graves (abcessos das raízes dentária com envolvimento ósseo) e que dificultam muito o tratamento e podem mesmo resultar em alterações irreversíveis.

As alterações dentárias (devido ao relacionamento dos dentes com outras estruturas anatómicas), podem levar a patologias como o aparecimento de abcessos (com localização variável de acordo com os dentes afectados), rinites, sinusites, alterações oculares e alterações neurológicas.

O tratamento de patologia dentária em coelhos depende das alterações observadas. É necessário um exame oral completo (que pode implicar anestesia para permitir uma inspecção cuidada da cavidade oral) e recorrendo a exames auxiliares (como radiografias) para auxiliar numa decisão terapêutica.

O tratamento varia de uma simples correcção de um sobrecrescimento de dentes, a excisão de abcessos, remoção dos dentes afectados e outros procedimentos de acordo com o grau de envolvimento de outras estruturas da cabeça.

O sucesso terapêutico está sempre relacionado com o diagnóstico precoce de patologia dentária mas também do tipo de dentes afectados e das alterações já presentes.