Cuidar

Alergia e prurido em cães

Alergia e prurido em cães

Conviver com um animal que se coça constantemente pode ser uma experiência muito frustrante para o dono, testando ao limite a ligação emocional que se forma entre este e o seu animal de estimação.
Animais que se coçam e lambem persistentemente acabam por provocar o aparecimento de escoriações e feridas profundas, que muitas vezes acabam por infetar.


Porque se coçam os animais?

As principais causas de prurido são: parasitas externos e alergias.
Os parasitas externos mais comuns incluem as pulgas e os ácaros (agentes de sarna, sendo mais comum a sarna sarcótica).
Os veterinários aconselham o diagnóstico terapêutico para a sarna sarcótica em animais com prurido severo e crónico e recomendam um controlo rigoroso das pulgas e sua monitorização, uma vez que a infestação por pulgas pode agravar o quadro alérgico.


O que são alergias?

A alergia é um estado de hipersensibilidade em que a exposição do animal a substâncias geralmente inofensivas, conhecidas como alérgenos, despoletam uma reação exagerada do sistema de defesa (ou sistema imunitário).
A incidência de reações alérgicas tem aumentado quer em humanos, quer nos animais de estimação.
Nas pessoas é frequente identificarmos a chamada “febre do feno” (caracterizada por lacrimejo, corrimento nasal e espirros) ou a asma.
No caso dos cães as alergias respiratórias são pouco frequentes; os quadros alérgicos revelam-se sobretudo ao nível da pele.
Apesar da diversidade de lesões, esta é na maior parte das vezes identificada pela vermelhidão/eritema e prurido, infeções recorrentes ao nível da pele mas também do pavilhão auricular, bem como perda de pêlo.
Este quadro é identificado como eczema ou dermatite atópica.


Quais são os principais tipos de alergias?

1 - Alergia à picada de pulga (DAPP):

A alergia à picada de pulga é a doença de pele mais comum em cães e gatos.
Um controlo absoluto das pulgas é essencial para manter um quadro assintomático nestes pacientes. “Mas Doutor, eu nunca vi pulgas no meu animal!”.
É possível que um dono não as tenha observado, mas isso não significa que elas não estejam lá.
A alergia é causada pela saliva da pulga e são necessárias apenas algumas picadas para induzir o problema.
O próprio animal ao coçar-se remove grande parte das pulgas adultas, tornando-as difíceis de encontrar. “Se as pulgas são o problema, porque é que o meu animal se continua a coçar no Inverno?”.
Com temperaturas amenas ou nas nossas casas as pulgas podem sobreviver em pequeno número um ano inteiro.
Uma vez que a alergia à picada de pulga é tão comum, recomendamos que deve ser instituído tratamento para o controlo total das pulgas antes de se procurar outras possibilidades de diagnóstico, como por exemplo outras alergias, e que esse controlo deve ser efetuado sem interrupções, durante todo o ano.


2 - Alergia alimentar

Alguns animais desenvolvem hipersensibilidade a determinados componentes da dieta.
O alérgeno consiste geralmente de uma macromolécula (proteínas ou hidratos de carbono) tal como carne de vaca, de porco, milho, trigo ou soja.
Ingredientes menores tais como conservantes e corantes são outros potenciais alérgenos.
O diagnóstico para alergia alimentar requer a uma dieta com ração que contenha ingredientes com que o animal nunca tenha contactado na vida.
Isto é conseguido através da prescrição de uma dieta por um período de 10 a 16 semanas.
Se os sinais clínicos se resolverem, é feito novo desafio alimentar colocando novamente a dieta anterior para avaliar se há recidiva dos sinais, nomeadamente do prurido.
Se isto se verificar é feito o diagnóstico definitivo de alergia alimentar.

A dermatite atópica é uma predisposição hereditária em desenvolver problemas de pele aquando do contacto com partículas usualmente inofensivas, incluindo o pólen das ervas daninhas ou outra vegetação, assim como poeiras e ácaros.
O diagnóstico de dermatite atópica baseia-se no resultado dos testes intradérmicos ou de sangue.
A avaliação do resultado destes testes ajuda a compilar uma lista de alérgenos, que permitem criar uma vacina de hipossensibilização com o objetivo de diminuir a sensibilidade do animal.
Por vezes é necessário repetir estes testes para chegar à verdadeira origem das alergias.


Infeções secundárias

As alergias são muitas vezes a causa primária de infeções recorrentes de pele e ouvido. Infeções bacterianas e fúngicas, apesar de secundárias ao processo alérgico, podem causar um aumento do nível de prurido.
Um tratamento antibiótico ou antifúngico a longo prazo é muitas vezes necessário em conjunto com o programa de banhos com champôs adequados.


As alergias têm cura?

Infelizmente não existe cura para a alergia e este é um problema que dura toda a vida do animal.

O objetivo do veterinário é assegurar o controlo da alergia e melhorar a qualidade de vida do animal e, consequentemente, do seu dono. Será formulado o melhor programa de maneio que assegure os melhores cuidados de saúde ao seu animal.


Posso tratar a alergia sem necessidade de testes de diagnóstico dispendiosos?

A terapêutica sintomática pode ser útil na redução do prurido. Os corticosteroides, particularmente a prednisolona, são frequentemente utilizados para diminuir o prurido. Contudo, sem averiguar a causa subjacente, os episódios de prurido irão repetir-se após o fim do tratamento.

Para além disto, o recurso aos corticosteroides pode conduzir a diversos problemas de saúde.
Esta é a principal razão pela qual encorajamos a procura de um diagnóstico preciso da causa da alergia, bem como informar quais os tratamentos específicos e menos agressivos para o animal.