Cuidar

Obesidade

Obesidade

A obesidade é o problema nutricional mais comum nos cães e nos gatos, sendo definida como um peso corporal 20% acima daquele que seria o peso corporal óptimo. Por exemplo, um cão cujo peso ideal é de 20 Kg, será considerado obeso se o seu peso exceder os 24 Kg.

A causa mais comum de obesidade é a ingestão excessiva de calorias. No entanto há fatores de risco que podem predispor o seu animal à obesidade, tais como, a idade, a predisposição de certas raças e a restrição de exercício. 
Muitas doenças estão também associadas à obesidade ou são exacerbadas por ela. Aqui incluem-se problemas ortopédicos (artrites, artroses, rupturas de ligamentos), hérnias discais, diabetes, doenças cardiovasculares, problemas respiratórios, complicações em cirurgias e anestesias, diminuição da fertilidade, incontinência urinária.

Estado físico

1 - Muito Magro

Costelas: Sentem-se facilmente sem revestimento de gordura.
Base da Cauda: Os ossos estão levantados sem tecido entre a pele e o osso.
Perspectiva Lateral: Pregas abdominais graves.
Perspectiva Superior: Forma de ampulheta acentuada.

2 - Abaixo do Peso

Costelas: Sentem -se facilmente com pouco revestimento de gordura.
Base da Cauda: Os ossos estão levantados com pouco tecido entre a pele e o osso.
Perspectiva Lateral: Pregas Abdominais.
Perspectiva Superior: Forma de ampulheta marcada.

3 - Ideal

Costelas: Sentem -se facilmente com ligeiro revestimento de gordura.
Base da Cauda: Revestimento regular mas podem sentir-se os ossos sob uma camada fina de gordura.
Perspectiva Lateral: Pregas Abdominais.
Perspectiva Superior: Parte lombar bem proporcionada.

4 - Excesso de Peso

Costelas: Dificuldade em senti-las com revestimento moderado de gordura.
Base da Cauda: Um pouco forte mas sente-se os ossos sob uma camada moderada de gordura.
Perspectiva Lateral: Não tem pregas nem no abdómen nem na cintura.
Perspectiva Superior: O dorso está ligeiramente alargado.

5 - Obeso

Costelas: Dificuldade em senti-las sob um revestimento grande de gordura.
Base da Cauda: Forte e dificuldade em sentirem-se os ossos sob uma camada considerável de gordura.
Perspectiva Lateral: A gordura pende ao abdómen e não tem cintura definida.
Perspectiva Superior: Visivelmente alargado.

Perguntas frequentes sobre a Obesidade

1. Quando é que um cão ou gato são obesos?

A obesidade é definida como uma doença caracterizada pela acumulação excessiva de gordura em determinadas partes do corpo, que pode afetar a saúde, o bem-estar e a qualidade de vida dos animais. O animal é considerado obeso quando o seu peso corporal está 20% acima daquele que seria o seu peso corporal ótimo.

 À semelhança dos humanos, a obesidade animal é um problema extremamente preocupante, pois:

 - Afeta milhões de animais em todo o mundo (cerca de 1 em cada 4 cães ou gatos);

- Pode causar muito sofrimento desnecessário. Em alguns animais a obesidade é extremamente incapacitante;

- Pode afetar os animais durante longos períodos da sua vida.

2. O que causa a obesidade?

Embora algumas doenças possam causar obesidade, o principal motivo é um desequilíbrio entre a energia ingerida e a energia gasta. Quer isto dizer que o animal come mais do que precisa para a sua atividade diária (que pode ser inferior ao desejável).
 

3. É verdade que alguns animais engordam mais facilmente?

Sim, existem alguns fatores que predispõem os animais à obesidade, tais como:

Raça – Existem certas raças de cães e de gatos que têm maior tendência para a obesidade.

Esterilização – Os cães e gatos castrados podem ter mais probabilidades de se tornarem obesos.

Idade – O risco de um cão se tornar obeso aumenta com a idade.

Sexo – As cadelas parecem ter maior tendência para a obesidade que os cães, embora com o avançar da idade esta diferença se atenue.

Dono – Os cães que têm sempre comida à disposição ou que não fazem exercício suficiente têm mais hipóteses de ser obesos. E entenda-se por exercício físico o passeio diário de pelo menos 2 horas dividido pelo dia (por exemplo passeios de meia hora 4 vezes por dia).

4. Quais os riscos associados à obesidade?

A obesidade pode causar quer problemas de saúde quer de bem-estar que vão provocar uma diminuição da esperança de vida e da qualidade de vida do seu animal de estimação. Pode ainda agravar problemas de saúde que já existam. Dentro das doenças que estão mais frequentemente ligadas à obesidade destacam-se:

- Diabetes;

- Artroses;

- Doença cardíaca;

- Hipertensão arterial;

- Dificuldades respiratórias;

- Doenças de pele;

- Alguns tipos de cancro.

A obesidade vai fazer com que certos comportamentos naturais sejam abandonados por exigirem demasiado esforço, como por exemplo a higiene diária dos gatos (lamber o pelo) ou as brincadeiras típicas que os cães tanto gostam.

5. Como posso evitar que o meu animal fique obeso?

O mais importante é fazer um controlo periódico da sua condição corporal, de modo a poder detetar o problema. Basta avaliar três simples características com alguma regularidade:

- Conseguir ver e sentir os contornos das costelas do seu animal, sem estas serem claramente visíveis ou fazer um grande esforço para as conseguir palpar;

- Conseguir ver e sentir a cintura do seu animal, sendo que esta deve ser clara quando vista de cima;

- A barriga do seu animal deve ser ligeiramente recolhida quando vista de lado.

Se algum destes pontos deixou dúvidas e se suspeita que o seu animal sofre de excesso de peso, deve procurar a nossa ajuda. O seu animal irá ser examinado para despistar alguma doença que possa estar a provocar a obesidade e fazer um programa de emagrecimento, para lhe devolver o bem-estar e qualidade de vida.

6. O meu animal vai sofrer muito para emagrecer?

Não! Hoje em dia existem dietas de altíssima qualidade, desenhadas especificamente para o emagrecimento dos animais de companhia, que dão uma sensação de saciedade embora façam perder peso. Contudo, estas dietas devem ter sempre um acompanhamento médico regular para assegurar a sua segurança e máxima eficácia. Se juntarmos a isto algum aumento de atividade física (que vai adorar certamente) o sacrifício é mínimo face aos ganhos em bem-estar, qualidade de vida e prevenção (ou resolução) de problemas de saúde. É claro que no final do processo teremos um animal mais saudável e, sobretudo, mais feliz!

A obesidade é um problema que se pode prevenir!